domingo, 29 de abril de 2012

16. Culto

Hoje, dança-se.




















Por aqui, dança-se praticamente todos os dias e por isso não queria deixar de assinalar o Dia Internacional da Dança. 

Nunca levo muita fé em alguém que diz que não gosta de dançar.

Das duas uma: está a mentir, na realidade tem vergonha (aí sou a chata que martela na ideia de que tudo se aprende e com a prática o pior pé chato pode tornar-se no melhor bailarino - conheço casos assim, os dos bailarinos improváveis) ou, simplesmente, é alguém desprovido de funções de personalidade vitais e de sentimentos. A dança é um rol de sentimentos. Sempre. Como levar fé nessas pessoas? 

Logo, aqui estou para celebrar a música, o movimento, a alma que comanda o movimento, a dedicação, as muitas, muitas horas de dedicação - em exclusão de outras coisas importantes, as nódoas negras, as lágrimas, as lesões, a persistência, as gargalhadas, o sangue nos pés, a cumplicidade, o sentimento (como descrever o sentimento?), o palco, o desejo de palco, a evolução, a amizade, os nervos, "muita merda", os aplausos, as hiperextensões e os cou-de-pied fabulosos, a alegria, que alegria e como não há nada que me faça sentir tão viva como umas quantas pirouettes, piqués retirés, soutenous e outros tantos deboulés terminados com piqué arabesque en relevé.

Que pareça um cliché mas tenho a certeza de que se o mundo dançasse mais seria um mundo muito melhor.

6 comentários:

Mariana disse...

Adorei as fotografias!
Beijinho, Mariana do blog Miss Tangerine :)

Alexandra disse...

:)

Obrigada.

Beijinho (Estou a sortear uns shorts de praia Banco de Areia. Vê se qeures participar.)

Ana Mestre disse...

Tão bonito! amei o post Boa semana *

Alexandra disse...

Obrigada, Ana.

Boa semana!

Ana disse...

Considero este post adorável.

Alexandra disse...

:)